Pulsar Poético


16/03/2012


Sobre a permanência das coisas

 

 

Preciso seguir.


Impossibilitada sinto-me...


De permanecer em tua estagnada aura.


Não é meu lugar. Perdão não peço, pois...


Anti natural seria pedir desculpas por ter pernas e


seguir. O caminho...


é destino meu; não meu o seria o


teu.


Meus verdes olhos de esperança avançam ao mundo


novo. E... Agradeço lembrando-te que gratidão não é


a permanência e sim, o seguir e levar


dentro. Também, fazer o bem não o seria exigir

 

grandiosos louros, pois que, laurear é dos romanos e

 

sou um tanto... Oriental, tropical, indígena e sem

 

essas... Divisas corporativas.


E se querem de mim o grilhão ao tornozelo, lamento!

 

Tenho os membros azeitados em amêndoas doces e

 

o pensamento... Em asas de gyps rueppellii. E voo...



E vou.

 


                 - Graça Carpes -

 

Escrito por Graça Carpes às 18h54
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Histórico